Veja na prática o impacto da genética na Pecuária

Artigo do sócio-diretor da Nelore Qualitas, Leonardo Souza, mostra os impactos da genética no Projeto Pecuária à Pasto Primeiro Passo.

Em dezembro de 2018 o engenheiro agrônomo Armélio Martins Rodrigues da Sisal Planejamento Agropecuário e Assistência Técnica Ltda entrou em contato conosco para nos comunicar o lançamento do Projeto Pecuária à Pasto Primeiro Passo. Conhecemos o Armélio desde 1996 quando ela já ele já assessorava em manejo de pastagens a Faz. Juscelândia do Sr. Gilberto Pires de Oliveira Dias, um de nossos primeiros parceiros no Qualitas em Britânia – GO.

Portanto, o tal Projeto Primeiro Passo, não nasceu da noite pro dia, foram milhares de passos para ele iniciar sua caminhada. Ele consiste em aplicar todos os conhecimentos e tecnologias desenvolvidas pelo Armélio de uma maneira simples mas bem feita, só que agora em sua própria propriedade. Isso é um verdadeiro exemplo do que podemos dizer, “arriscar a própria pele”, ou seja, fazer o mesmo que você recomenda aos seus clientes. E pra nós isso é extremamente nobre.

Armélio (primeiro à esquerda) apresentando o Projeto Pecuária à Pasto Primeiro Passo para os parceiros do Programa Qualitas de Melhoramento Genético – Faz. Engenho de Serra – Bela Vista de Goiás – GO.
“O tal Projeto Primeiro Passo, não nasceu da noite pro dia, foram milhares de passos para ele iniciar sua caminhada”.

E como o nome diz o projeto tem o objetivo de mostrar na prática quais seriam os primeiros passos que um pecuarista deveria adotar para aumentar a produtividade e a lucratividade do seu negócio e acompanhar a evolução do sistema por um período de 5 anos na Faz. Engenho de Serra em Bela Vista de Goiás – GO a 50 km de Goiânia e que tem 82 ha de pastagens e se dedica à recria e terminação de machos.

Para essa empreitada várias pessoas e empresas foram convidadas para contribuir com conhecimento e tecnologias adicionais ao que já é aplicado pelo Armélio.

Da nossa parte, em 2018 nós ajudamos o Armélio na aquisição de 80 bezerros do criador Ilézio Inácio Ferreira da Faz. Bonanza em Bandeirantes – GO, parceiro do Qualitas desde 2009.

Os dados a seguir se referem a 78 destes bezerros (definidos como Nelore Qualitas) pois, 1 morreu e o outro não foi comercializado no Frigorífico Minerva de Palmeiras – GO como todos os outros animais. Se referem também a outros dois grupos de animais, ½ Sangue Senepol (filhos de Touros Senepol em vacas ½ Sangue Angus/Nelore) e Anelorado Comercial (como o nome já diz animais com sangue Nelore e também mestiços de outras raças que não conseguimos definir com exatidão).

Todos os animais foram separados por peso em 2 rotacionados com 6 piquetes cada, sendo recriados em pastos corrigidos e adubados no início de 2019 e suplementados com proteinado na proporção de 0,1 até 0,5% do peso vivo fornecido pela Flex, desde a sua chegada à fazenda até o dia 13 de maio de 2019. A partir desta data dois lotes foram submetidos a terminação à pasto com alta suplementação (perto de 2,0% do peso vivo de concentrado fornecido pela Nutroeste) e o último lote também entrou no mesmo sistema de terminação no dia 12 de julho de 2019. Todos os animais estavam inteiros, sem castração até o abate.

Tabela 1: Desempenho de 3 grupos de animais desde a compra até o abate no Projeto Pecuária à Pasto Primeiro Passo – Faz. Engenho de Serra – Bela Vista de Goiás – GO.

A tabela 2 apresenta o desembolso médio por boi de cada grupo. Consideram-se todos os aportes incluindo investimentos no desembolso por cabeça conforme é utilizado pela Inttegra que através de sua franqueada Otimiza acompanha e compila todas as informações financeiras do Projeto.

Tabela 2: Desembolso por cabeça até o abate de acordo com a fase e a data da venda dos 3 grupos no Projeto Pecuária à Pasto Primeiro Passo – Faz. Engenho de Serra – Bela Vista de Goiás – GO.

Os animais Nelore Qualitas foram adquiridos logo após à desmama e eram filhos de inseminação com sêmen de touros Qualitas ou de touros de repasse criados pela própria Faz. Bonanza. Os machos ½ Sangue Senepol também eram animais mais jovens, desmamados em 2018 e os do grupo Anelorado Comercial apresentavam diversas faixas etárias como podemos ver na tabela 3, que mostra a classificação através de avaliação de dentição dos animais no momento do abate.

Tabela 3: Classificação de dentição no momento do abate de 3 grupos de animais abatidos no Projeto Pecuária à Pasto Primeiro Passo – Faz. Engenho de Serra – Bela Vista de Goiás – GO.

Só apresentamos as idades reais médias dos animais Nelore Qualitas pois, o criador faz o controle da data e sêmen utilizado na IATF e também a data de nascimento de todos os animais.

Mas o que é mais importante para o ponto de vista financeiro é que somente animais rastreados dentro do SISBOV e abatidos antes de iniciar a troca da dentição, ou seja, classificados como DENTE DE LEITE na inspeção pós abate é que são classificados como Cota Hilton e que no caso específico dos animais do Projeto receberam uma bonificação do Frigorífico Minerva de R$ 3,00 por arroba.

No caso dos animais Nelore Qualitas que sabia-se a data de nascimento (01 de outubro de 2017 a 03 de janeiro de 2018) foi possível verificar que o animal mais novo que já havia iniciado a troca de dentes estava com 22,89 meses de idade. Desta maneira, se quiséssemos garantir a bonificação de R$ 3,00 por arroba teríamos que abater os animais antes dos 23 meses de idade. E essa é uma informação valiosa para o planejamento de engorda, onde pode ser mais vantajoso abater os animais um pouco mais leves, mas com garantia de receberem a bonificação.

E a idade (“dentição”) teve impacto direto nos resultados financeiros da engorda de cada grupo de animais. Considerando somente a bonificação de R$ 3,00 por arroba para os animais DENTE DE LEITE os valores médios recebidos por arroba e os resultados financeiros da engorda de cada grupo em cada abate são apresentados na tabela 4.

Os dados que “saltam aos olhos” quando olhamos a tabela acima é que os animais abatidos primeiro, no dia 26 de agosto de 2019, foram os mais lucrativos e com maior margem.

Este lote de 43 bois ficou o mesmo tempo na recria que o lote abatido dia 10 de setembro e 60 dias a menos que o lote abatido dia 04 de novembro. Portanto, apresentaram um custo de recria igual ao do segundo lote e menor que o terceiro lote abatido. A diária desembolsada na recria ficou em torno de R$ 2,05 por cabeça.

Já na terminação que custou R$ 8,00 por cabeça dia. Os animais do primeiro lote permaneceram 103 dias, os do segundo lote 118 dias e os do terceiro lote abatido 113 dias. Portanto, foram os que tiveram o menor desembolso até o abate.

Animal Nelore Qualitas em Terminação à Pasto – Faz. Engenho de Serra – Bela Vista de Goiás – GO.

Além disso, foram abatidos com quase 21 arrobas de média e apesar de terem sido vendidos pelo menor valor médio por arroba foram os mais lucrativos. Vejam que mesmo um valor venda de quase R$ 13,00 a mais por arroba no terceiro lote, não foi suficiente para atingir a lucratividade do primeiro lote que ganhou mais peso e ficou menos tempo na fazenda.

Os resultados mostram que os animais Nelore Qualitas apresentaram o menor desembolso por cabeça, o segundo melhor preço médio por arroba na venda e a maior receita média por cabeça resultando na maior margem.

Considerando os 82 ha de pastagens o lucro ficou em R$ 586,53 por ha. Mas, “SE”, somente animais do grupo Nelore Qualitas estivessem no projeto o lucro aumentaria em 40,2% para R$ 822,23 por ha.

Acho que esta é uma boa maneira de ver o impacto da genética no Projeto Pecuária à Pasto Primeiro Passo.

Gostaria de parabenizar ao Armélio e sua família (sua esposa Tânia e sua filha Mariana) que é totalmente envolvida no negócio e a todos os parceiros. E convidá-los a conhecer o Projeto que realmente está mudando a forma com que todos nós enxergamos a pecuária de corte brasileira. E que agora tem mais um lote de animais Nelore Qualitas em recria, só que agora da Faz. Caititu de Campinaçu – GO, capitaneada pelo Wesley e pela Luisa.

Artigo por Leonardo SouzaNelore Qualitas

Armélio: celular: (62) 99971-4888 ou pelo e-mail. Fonte: Compre Rural

Compartilhar
Dúvidas? Podemos ajudar